8 de janeiro de 2022
/

Para ter autoestima é preciso olhar para fora!

Oi, genteee! Muitas vezes pensamos que para ter autoestima precisamos olhar somente para nós mesmos, cuidar somente das coisas que nos são interessantes, mas na verdade é bem diferente, a verdadeira autoestima não é isso. Separei alguns trechos da aula 22 do Clube da Autoestima com a Renata Viana pra entendermos melhor esse modo de ver isso.

A autoestima vem da responsabilidade. Quando tomamos conta de algo ou de alguém, existe um ganho de energia e disposição que não esperávamos. A responsabilidade gera uma autoestima muito legal porque conseguimos ver que de fato estamos sendo úteis para quem amamos e que eles precisam de nós.

Não consigo ver uma vida onde não há entrega pelo outro. Se você não cuida das coisas que te são preciosas. O que você está fazendo nesse mundo? É preferível passar por aqui e deixar um rastro de amor, de palavras, de atos, de carinho e de entrega. É difícil, eu sei que nos custa, mas cada dia é um recomeço.

Autoestima se conecta à alegria e alegria verdadeira vem quando saímos de nós mesmos. A ordem das coisas que devemos fazer é primeiro para Deus, depois para os outros e por último para nós mesmos. Hoje em dia isso está invertido, fazemos primeiro para nós, depois para os outros e, se nos lembramos, para Deus. Quando fazemos algo para os outros, acabamos agindo para Deus e quando fazemos para Deus, também agimos pelos outros. Ou seja, é um caminho do bem, um círculo virtuoso.

Esse caminho de entrega pelo outro várias vezes começa conosco dando o primeiro passo. Vemos muita gente reclamando das pessoas e de como as coisas estão ruins, mas não dão o primeiro passo de serem boas com alguém. “Quer mudar o mundo? Comece arrumando a sua cama.”

A voz da consciência fica no fundinho da nossa mente, e ela está lá para nos trazer para os bons atos. Sentimos que não conseguimos dar conta de tudo, de todas as demandas, com isso ficamos olhando somente para dentro de nós e acabamos nos perdendo.

Eu mudei minha relação com a voz da consciência, parece que estou falando de uma outra pessoa, mas é a relação que tenho de responsabilidade com as minhas demandas e de fazer o que deve ser feito na hora que deve ser feito. “Faz o que deves e está no que fazes.” São Josemaria Escrivá. Ao nos atentar à voz da consciência, percebemos que poderíamos entregar muito mais, e quando passamos a estar mais conscientes disso, começamos a fazer as coisas com mais cuidado também.

Não estamos acostumados a fazer esforço, a nossa cultura atual está sempre alimentando essa coisa de olhar para nós mesmos e é por isso que nos parece um esforço tão grande fazer o que nos cabe, porque nos falta hábito. As coisas que fazemos hoje de forma rotineira, a um ano atrás era muito mais custoso, mas acabou se tornando algo natural, se tornando um hábito.

Se você quiser se aprofundar ainda mais nesse tema, clica aqui! Um beijo, fica com Deus e até mais.

Leia também...
Deixe seu Comentário