• 5 tutoriais de makes para você usar no dia a dia!

  • #VoltandoAosCachos: Maíra Pereira Gramagol

  • Dicas valiosas pra um “day after” perfeito!

  • janeiro 28, 2019 // Comente

    Com a chegada do verão e o início de um novo ano, aparece uma ótima oportunidade para mudar o visual: cortar o cabelo bem curtinho! É um grande alívio principalmente nesses dias tão quentes, deixar a nuca à mostra ou pelo menos ter um pouco menos de cabelo pra cuidar.

    Por isso, trouxe algumas ideias lindas de cortes para cabelos crespos, cacheados e ondulados para você se inspirar e tentar algo parecido no seu! Quem sabe você não se apaixona agora por um curtinho? <3

    Cabelos crespos

    Se você tem cabelos crespos, pode ir desde um corte pixie (esse beeeem curtinho que em alguns lugares é chamado de “joãozinho”) até um corte com base mais reta para ficar super estilosa. Outra opção para dar mais atitude ao visual é cortar um pouco mais nas laterais e deixar o topo mais comprido, com uma espécie de moicano que está cada vez mais popular entre as crespas!

    Cabelos cacheados

    Um dos mitos em relação ao cabelo cacheado que muitos ainda falam por aí é que ele não pode ter franja. Até parece, né? Cabelo cacheado com franja é lindo e é uma ótima ideia tanto para usá-lo dividido ao meio quando de lado, sem contar que fica super moderno e estiloso!

    Cabelos ondulados

    As onduladas podem tanto tentar um corte reto quanto um assimétrico, deixando a parte da frente mais comprida que a parte de trás. Para as mais ousadas, existe a possibilidade de raspar as laterais e deixar só o topo do cabelo! E, claro, franjas combinam bastante e são a cara do verão também!

    Vocês ousariam algum desses cortes? Me contem tudo!

    janeiro 25, 2019 // Comente

    Oi genteee! A Iandra Bastos me mandou a linda história dela por e-mail, e achei que seria super legal compartilhar com vocês por aqui. A Iandra tem 21 anos e mora em Pinheiro, no Maranhão. Espero que vocês gostem tanto quanto eu! E se você quiser mandar seu depoimento pra mim também, é só acessar essa página e ver como fazer. Quero muito conhecer a sua história!

    Meu nome é Iandra Bastos, tenho 21 anos e sou Universitária. Minha trajetória com meu cabelo foi no entanto um pouco conturbada, desde criança meu cabelo sempre foi volumoso , minha mãe penteava e sempre esticava meu cabelo, e sempre fazia aqueles penteados como trancinhas e cachinhos no dedo. entretanto ao passar dos anos meu cabelo sempre me deu trabalho, não havia produtos para cabelo como o nosso na época, ai com 12 pra 13 anos fiz meu primeiro relaxamento, era uma química não muito forte e acabou desmanchando os meus cachos e manteve o volume, assim apelei pra chapinha, isso desencadeou um ódio sobre meu cabelo, tanto tempo no salão pra não adiantar de nada, eu sempre tive um complexo de inferioridade devido aos apelidos que recebia, eu era a pessoa que tinha uma baixa estima e inconformada por ter nascido com cabelo crespo.

    Aos 15 anos no Ensino Médio (2012), uma colega de sala me falou “teu cabelo me dar uma agonia, tu não sente agoniada com esse tanto de cabelo?”, isso fez com que eu tivesse com mais raiva de mim mesma, eu não me amava, a partir daí fiz a minha primeira selagem, gostei muito do resultado no inicio, nesse tempo também eu tinha começado a namorar e eu me arrumava para o meu namorado na época, eu estava melhor com minha aparência mas ainda não estava satisfeita devido a falta de amor próprio, os alisamentos e chapinha eram constantes, tudo pra ter um cabelo “comportado”, mas começaram as quedas e cortes químicos, e eu continuava alisando.

    Aos 18 anos entrei na faculdade na capital e parei um pouco com a química no meu cabelo (Por curiosidade eu cursava Química), mas tranquei e voltei pra minha Cidade pra fazer um outro curso, e por recomendação de uma amiga querida chamada Maria Amélia Rolim decidi entrar em transição, isso em 2015 (Foi por ela que te conheci Aninha! kk). a transição do meu cabelo me fez que a minha autoconfiança entrasse em transição também, me deu mais coragem, mais determinação, mais amor próprio, não fiz big chop, apenas fui cortando as pontas de 3 em 3 meses. No inicio de 2017, com 2 anos de transição meus cachos estavam completos, eu amava (e ainda amo) fazer as finalizações que você postava no Youtube, meu cabelo se tornou muito mais versátil, bonito, bem cuidado e forte como eu sempre quis, meu cabelo não é mais um problema pra mim. A minha transição serviu de inspiração pra minhas amigas de faculdade, todas passaram por esse processo e estão todas cacheadas.

    O que é autoestima pra você?: É cuidar-se, é o ato de se amar, é investir no seu interior e exterior, é espalhar o amor que você tem para as outras pessoas.

    O que mudou na sua vida depois que você se aceitou?: Mudou tudo, meu andar, meu agir, o cuidado comigo e com os outros, tudo mudou pra melhor. E sim eu me aceito do jeitinho que Deus me fez.

    janeiro 18, 2019 // Comente

    Oi genteee! Tudo bem com vocês? Sexta-feira é dia de #VoltandoAosCachos e, como vocês sabem, trouxe mais uma história inspiradora de transição capilar. Hoje, compartilho o depoimento da Gabrielle Gomes, que mora em Manaus, Amazonas, e tem 19 anos de idade. E se você quiser mandar seu depoimento pra mim também, é só acessar essa página e ver como fazer. Quero muito conhecer a sua história!

    Minha adolescência: barbie, programas de tv que só retratavam meninas de cabelo liso que conseguiram encontrar seu amor verdadeiro, comerciais de chapinha ” meu Deus pq eu tenho esse cabelo, e esse nariz e essa testa? ” Quando eu tinha 13 anos resolvi que ia alisar de qualquer jeito, aperriei minha mãe e disse que era isso que eu queria, que todas as minhas amigas tinham cabelo liso e que eu queria poder pentear e passar a mão por dentre os meus cabelos sem que engatasse.

    Nesse tempo fiz meu primeiro alisamento e senti que finalmente eu era quem as pessoas queriam que eu fosse. Eu tinha franja , um cabelo longo e liso mas que sempre precisava de chapinha pq ele ficava de uma forma estranha sem ela, quando eu saía tinha sempre que passar ela pq se nao chorava, mas chorava de raiva e desespero por ele ainda não ser o cabelo perfeito. Com 15 anos implorei outro alisamento que foi o terror na minha vida, meu cabelo longo se quebrou na altura do meu ombro por causa da química, queria usar ele MESMO ASSIM mas a tesoura deixou ele menos pior e decidi usar a chapinha sempre pq ela sim resolveria “sem maltratar” o que restava.

    Com 16 anos saí de um relacionamento de quase 2 anos, quase entrando em depressão e muito magra decidi parar de fazer chapinha e deixar meu cabelo florescer, até hoje estou me amando desse jeito que eu sou e com o cabelo que me faz ser quem eu verdadeiramente eu vim pra ser.

    O que é autoestima pra você?: Saber que você pode ser o que você quiser, usar o cabelo que quiser e ser plenamente feliz com isso.

    O que mudou na sua vida depois que você se aceitou?: A forma como olho pra dentro de mim e por fora tbm, eu amo o que Deus fez e como Ele me criou.. Eu ainda tenho as minhas paranóias ainda tenho dias de baixa autoestima mas isso só mostra o ser humano vulnerável que sou e não tem nada de errado nisso.

    ©2018 - Apenas Ana - Todos os direitos reservados // Design por Sara Silva