8 de junho de 2020
/

#VoltandoAosCachos: Gabriela Ribeiro

Oi, genteee! No #VoltandoAosCachos de hoje, trouxe a história da Gabriela Ribeiro, de 18 anos e que mora em Brasília. Ela tem um perfil no Instagram onde compartilha sua transição. Ela me contou um pouco sobre sua transição capilar, espero muito que ajude e inspire vocês! Se quiser mandar seu depoimento pra mim também, é só acessar essa página e seguir o passo a passo. 

Comecei a alisar meu cabelo muito nova, antes dos 12 anos. Minha mãe não sabia cuidar e eu muito menos por isso passei alisante, depois selagem e por fim progressiva. Sempre fui a louca da chapinha, se meu cabelo não estivesse totalmente liso e baixinho eu não ficava feliz e às vezes até deixava de sair por conta disso. Em fevereiro de 2018 tentei passar pela transição, queria saber como era o meu cabelo natural, mas por críticas de colegas da escola, eu desisti. Mas sei que ali plantei uma sementinha: Queria ver meu cabelo natural, depois de aproximadamente sete anos alisando. 

Em dezembro do mesmo ano fiz minha última progressiva, mas acabou não dando muito certo, meu cabelo ficou um pouco danificado nas pontas e em fevereiro do ano seguinte eu cortei. Continuei usando chapinha até março – quando ela queimou – então me senti na obrigação (literalmente) de dar início a transição hahaha. No começo foi bem difícil, meu cabelo estava crescendo muito e era complicado esconder as duas texturas. Coloquei Box Braids para ajudar no crescimento e na minha auto estima, foi tiro e queda, já acordava pronta para tudo. Quando tirei as tranças meu cabelo tinha crescido bastante, cortei novamente pois não queria cuidar de um cabelo morto. 

Eu sempre dizia que só ia fazer o big chop quando meu cabelo tivesse num tamanho “bom” e me prendi a isso. No processo de transição abdiquei completamente de chapinha, secador e tintura, até mesmo para eventos mais importantes, como o casamento do meu irmão em que fiz texturização – que acabou não dando muito certo. 

Eu usava muito coque e outros penteados, fazia maquiagens para me sentir mais bonita mas não tenho muitas fotos porque a auto estima era lá em baixo. Até que com 10 meses de transição decidi fazer o BC e só tive o apoio das minhas amigas. Meu cabelo ficou estilo “Joãozinho”, eu estranhei demais, nunca tive o cabelo tão curto. Fui muito criticada e entrei em negação, a sorte foi que eu ainda conseguia fazer afro puff. 

Hoje já aprendi tanta coisa com meu cabelo, ter ele curto não me faz menos mulher… Confesso que me acho mais bonita por causa do meu cabelo, mas que quando ele está num bad hair day, está tudo bem, porque é só um cabelo. 

Leia também...
Deixe seu Comentário
Você deve estar logado para comentar.