21 de maio de 2020
/

#VoltandoAosCachos: Ingrid Araújo

Oi, genteee! No #VoltandoAosCachos de hoje, trouxe a história da Ingrid Araújo, de 21 anos e que mora em Cruz das Almas – BA. Ela me contou sobre sua transição capilar e os seus desafios para enfrentar esse período de muitas incertezas e crescimento pessoal! Se quiser mandar seu depoimento pra mim também, é só acessar essa página e seguir o passo a passo. 

Eu sempre tive os cabelos cacheados e aos 12 anos de idade, minha mãe resolveu – por indicação de uma vizinha – alisar o meu cabelo. Eu fiquei apaixonada pelo resultado, antes só usava o cabelo solto se fosse encharcado de água, mais água do que creme por sinal. Não tinha os cuidados adequados e mesmo depois da química eu não cuidava, não hidratava… Me acabava na chapinha! Muitas vezes passava ela com o cabelo úmido, pois não tinha secador e não saía com ele natural por nada!

Passei dois anos sem fazer química e a raiz foi crescendo, comecei a usar ele preso de lado e amassava bem as pontas pra ficar um cacho mais solto. Pouco depois, lá fui eu novamente fazer relaxamento. Algumas pessoas diziam que o cacho ia abrir e eu poderia usar ele cacheado. Já estava com o desejo de voltar com meu cabelo natural, mas mesmo assim continuava com a chapinha. Passei mais alguns anos sem fazer nenhuma química, já tinha um palmo de cabelo natural, quando caí na cilada de fazer selagem, ficava apaixonada com o resultado, mas o cabelo só ficava bom até a segunda lavagem.

Em 2016 tomei coragem e cortei o cabelo com uma dó tão grande. Sempre fui apegada ao comprimento do meu cabelo, era como se ter ele comprido fosse o motivo de me sentir linda e segura. Mas estava determinada a voltar com meu cabelo natural e conhecê-lo. Afinal, eu não me lembrava mais como ele era e estava cansada de passar pela tristeza que a química me trazia. Ele não estava como realmente deveria ser. 

Estava muito insegura em usá-lo com volume e definição, por isso passava bastante creme e quando começava a secar eu molhava de novo. Nessa época eu estava namorando, e isso contribuiu para que minha autoestima ficasse mais baixa e a insegurança aumentasse. Ele fazia comentário sobre o meu cabelo, e sempre afirmava que preferia comprido e liso. Por isso resolvi continuar com a chapinha e receitas caseiras de alisamento.

No final de 2017 fiz a última química, mais uma selagem! Como ele estava natural, os cachos foram aparecendo com muita dificuldade e como eu não sabia cuidar, achei que a selagem teria um resultado melhor dessa vez. Na época eu amava, mas depois, a raiz foi crescendo e a diferença de texturas foi aparecendo. Depois de terminar o relacionamento em 2018, tomei coragem para fazer o big chop e decidi que nunca mais me deixaria levar por opiniões alheias.

Desde então, sigo cuidando do meu cabelo com todo amor, vendo suas dicas e redescobrindo a forma de cuidar dele. Com toda essa história, percebo que aprendi muitas coisas, e hoje amo muito mais o meu cabelo natural.

Leia também...
Deixe seu Comentário
Você deve estar logado para comentar.