19 de maio de 2020
/

#VoltandoAosCachos: Thalita Cardoso

 Oi, genteee! No #VoltandoAosCachos de hoje, trouxe a história da Thalita Cardoso, de 16 anos e que mora em Cerejeiras – Rondônia. Ela tem um perfil no Instagram, se vocês quiserem acompanhar. Assim como muitas de vocês, ela passou pelo processo de transição capilar e me contou um pouco sobre como foi. Se quiser mandar seu depoimento pra mim também, é só acessar essa página e seguir o passo a passo. 

Quando criança, meu cabelo cacheado era super comprido. Lembro-me de minha professora do jardim de infância me chamar de Rapunzel e eu amava! Porém naquela época não tínhamos o conhecimento das técnicas que utilizamos hoje, e eu também sofria muito com aquele bichinho chamado piolho, mesmo minha mãe tendo todos os cuidados.

Em 2014/2015, realizei o meu primeiro procedimento químico e me senti tão feliz… Não sabia o que estava por vir. Na primeira semana, correu tudo bem, mas ao decorrer dos dias e das lavagens, percebi que o comprimento do meu cabelo não segurou a química completamente e isso me incomodava muito. Meu cabelo ficou sem forma e eu sem autoestima. Era sempre a mesma coisa quando fazia o retoque: O cabelo lisinho não durava para sempre. Isso fez com que eu me tornasse refém da chapinha.

Em 2018, conheci a transição capilar e a partir disso comecei a pesquisar absolutamente tudo sobre cabelos cacheados, e foi nesse período que conheci canais como o seu, da Vandressa e da Farkile. Como uma coisa leva a outra, você já deve saber o resultado: Entrei de cara na transição capilar! A raiz do meu cabelo já estava um pouco grande porque eu não havia feito o retoque e isso facilitou ainda mais as coisas.

Porém como nem tudo são flores, eu sofri muito durante esse período. As duas texturas me incomodavam e não poder usá-lo solto… A vontade de cortar só aumentava. Certa noite tomei a decisão de cortar meu cabelo, fui perante o espelho com uma tesoura e o show começou. Minha mãe não apoiava o meu corte tão repentino, mas a minha ansiedade estava à mil. No dia seguinte, fui no salão para acertar o corte porque havia ficado torto.

 Atualmente meu cabelo está tão lindo. Quem antes julgava a minha postura, hoje elogia sem hesitar. Muitas meninas da minha cidade se inspiram em mim e isso me deixa muito feliz! Sou grata à Deus por ter me dado a oportunidade de amadurecer nesse período, que foi de grande valor para mim. A transição me ensinou a ser, acima de tudo, paciente.

Leia também...
Deixe seu Comentário
Você deve estar logado para comentar.