• Vídeo: MEU CABELO MUDOU?

  • Vídeo: ARRUME-SE COMIGO DO DIA PRA NOITE!

  • Vídeo: MINHA ROTINA DE CUIDADOS COM A PELE EM CASA!

  • junho 21, 2019 // Comente

    Oi genteee! Sexta-feira é dia de #VoltandoAosCachos com os depoimentos mais lindos sobre transição capilar. No post de hoje, vocês vão conhecer a história da Luana Aquino da Silva, que tem 19 anos e mora em Teresópolis, no Rio de Janeiro. Aproveita para seguir essa linda no Instagram também! E se você quiser mandar seu depoimento pra mim também, é só acessar essa página e ver como fazer. Quero muito conhecer a sua história!

    Olá, Ana! Tudo bem? Espero que sim.

    Desde pequena minha vó relaxava meu cabelo, ela é cabeleireira e sempre realizou tal prática, e eu nunca tinha me incomodado até o momento com o meu cabelo relaxado. Mas em 2016 comecei a perceber meu cabelo muito fraco, com as pontas lisas e não dava muito volume, fora que eu passava creme em um dia e no outro já estava horrível. Foi nesse momento que comecei a dar uma mudada na minha vida e decidi parar de relaxar meu cabelo. Contei para a minha irmã e ela super me apoiou desde o inicio, ela estava vivendo esse sonho junto comigo, até por que eu não sabia como que era meu cabelo sem a química, só por foto mas eu era muito criança e o cabelo muda, né… Contei para a minha vó também e ela no começo não me apoiou nem nada, só disse que era uma decisão minha.

    Em 2017 com a raiz crescendo começou os crespinhos (chama os meus cachinhos assim haha) aparecerem, eram lindos, parecia um sonho. Eu cortava o meu cabelo da parte de traz do meu cabelo para agilizar o processo da transição. Usava o kit completo da linha S.O.S bomba da Salão line junto do imecap hair, e nesse momento meu cabelo cresceu muito! Em fevereiro de 2017 meu cabelo (alisado e ainda em transição) vinha na metade das minhas costas e eu estava muito feliz, mas, em casa não era bem assim… Minha vó começou a implicar com o meu cabelo, quase me forçava a fazer relaxamento e não me apoiava em nenhum momento!! Mas eu aguentei até o final. Enfim, no dia 13 de Dezembro de 2017, resolvi cortar o meu cabelo, tirar tudo da química que ainda estava lá, com a ajuda da minha irmã isso foi possível.

    Fiquei o dia inteiro com turbante no cabelo para minha vó não desconfiar, até por que ela não gostava nem um pouco do cabelo crespo! No dia 14 fui no salão pintar minhas unhas para a minha formatura no dia 15 (sim, fiz o bc faltando dois dias para minha formatura do ensino médio haha) sai de casa com o turbante para ela não desconfiar. Cheguei no salão e meu tio (que é o dono do salão) amou meu cabelo natural, e começou a ajeita-lo para mim, me senti linda e poderosa!! Mas quando cheguei em casa, dei de cara com a minha vó, e ela começou a falar que estava horrível, que não sabia por que tinha feito aquilo faltando pouco dias para a minha formatura, mas ela só me diminuiu, mas minha irmã sempre me deu força e não deixou-me abater pelos comentários preconceituosos.

    No dia 15 de Dezembro dia da minha formatura, minha vó tentou escovar meu cabelo, pois ela não me queria de jeito nenhum ele crespo, mas ficou horrível… parecia um capacete, retirei a escova e fui com ele crespo mesmo, e nem preciso falar que todos amaram meu cabelo natural, né? haha Depois disso, foi só amor, minha vó ainda falava pela casa que estava muito feio o meu cabelo, mas eu já estava acostumada e realizada então comentários negativos não me atingiam mais. Depois de algum tempo, ela parou e hoje em dia, ela até estranha quando não têm volume. Hoje sou madura e gosto dele natural como gosto dele alisado até fiz box braids (mas deu alergia, que pena, né?). Amei esse processo, pois pude crescer com ele.

    O que mudou na sua vida? A liberdade, como ele está natural agora eu tenho uma maior liberdade sobre ele, o dia que eu quero ele com volume eu uso, o dia que eu quero alisado eu aliso, o dia que eu quiser mudar a cor (como mudei haha) eu mudo, e ele está crescendo lindo e todo mundo ama meu cabelo e muitas outras como duas prima minhas e uma conhecida, estão no processo de transição. Fora que eu achei que não iria me ajudar com os boys, coitada dela! hoje em dia é a primeira coisas que eles elogiam.O Amor próprio também passa por essa transformação, pois ele começa de dentro para fora. Deus sempre nos dá oportunidades de crescermos e nós devemos agarra-las. Hoje com 19 anos e cursando Direito, sou uma mulher completa.

    Você deve estar logado para postar um comentário.

    ©2018 - Apenas Ana - Todos os direitos reservados // Design por Sara Silva