• Looks inspiradores em tons pastel!

  • #VoltandoAosCachos: Jeniffer Oliveira

  • Como ter um bom DAY AFTER na transição capilar?

  • janeiro 25, 2019 // Comente

    Oi genteee! A Iandra Bastos me mandou a linda história dela por e-mail, e achei que seria super legal compartilhar com vocês por aqui. A Iandra tem 21 anos e mora em Pinheiro, no Maranhão. Espero que vocês gostem tanto quanto eu! E se você quiser mandar seu depoimento pra mim também, é só acessar essa página e ver como fazer. Quero muito conhecer a sua história!

    Meu nome é Iandra Bastos, tenho 21 anos e sou Universitária. Minha trajetória com meu cabelo foi no entanto um pouco conturbada, desde criança meu cabelo sempre foi volumoso , minha mãe penteava e sempre esticava meu cabelo, e sempre fazia aqueles penteados como trancinhas e cachinhos no dedo. entretanto ao passar dos anos meu cabelo sempre me deu trabalho, não havia produtos para cabelo como o nosso na época, ai com 12 pra 13 anos fiz meu primeiro relaxamento, era uma química não muito forte e acabou desmanchando os meus cachos e manteve o volume, assim apelei pra chapinha, isso desencadeou um ódio sobre meu cabelo, tanto tempo no salão pra não adiantar de nada, eu sempre tive um complexo de inferioridade devido aos apelidos que recebia, eu era a pessoa que tinha uma baixa estima e inconformada por ter nascido com cabelo crespo.

    Aos 15 anos no Ensino Médio (2012), uma colega de sala me falou “teu cabelo me dar uma agonia, tu não sente agoniada com esse tanto de cabelo?”, isso fez com que eu tivesse com mais raiva de mim mesma, eu não me amava, a partir daí fiz a minha primeira selagem, gostei muito do resultado no inicio, nesse tempo também eu tinha começado a namorar e eu me arrumava para o meu namorado na época, eu estava melhor com minha aparência mas ainda não estava satisfeita devido a falta de amor próprio, os alisamentos e chapinha eram constantes, tudo pra ter um cabelo “comportado”, mas começaram as quedas e cortes químicos, e eu continuava alisando.

    Aos 18 anos entrei na faculdade na capital e parei um pouco com a química no meu cabelo (Por curiosidade eu cursava Química), mas tranquei e voltei pra minha Cidade pra fazer um outro curso, e por recomendação de uma amiga querida chamada Maria Amélia Rolim decidi entrar em transição, isso em 2015 (Foi por ela que te conheci Aninha! kk). a transição do meu cabelo me fez que a minha autoconfiança entrasse em transição também, me deu mais coragem, mais determinação, mais amor próprio, não fiz big chop, apenas fui cortando as pontas de 3 em 3 meses. No inicio de 2017, com 2 anos de transição meus cachos estavam completos, eu amava (e ainda amo) fazer as finalizações que você postava no Youtube, meu cabelo se tornou muito mais versátil, bonito, bem cuidado e forte como eu sempre quis, meu cabelo não é mais um problema pra mim. A minha transição serviu de inspiração pra minhas amigas de faculdade, todas passaram por esse processo e estão todas cacheadas.

    O que é autoestima pra você?: É cuidar-se, é o ato de se amar, é investir no seu interior e exterior, é espalhar o amor que você tem para as outras pessoas.

    O que mudou na sua vida depois que você se aceitou?: Mudou tudo, meu andar, meu agir, o cuidado comigo e com os outros, tudo mudou pra melhor. E sim eu me aceito do jeitinho que Deus me fez.

    Você deve estar logado para postar um comentário.

    Instagram has returned invalid data.
    ©2018 - Apenas Ana - Todos os direitos reservados // Design por Sara Silva