• #VoltandoAosCachos: Jeniffer Laiza

  • Ideias lindas para usar animal print!

  • #VoltandoAosCachos: Diana Lima Silva

  • setembro 28, 2018 // Comente

    Oi genteee! Tudo bem com vocês? No #VoltandoAosCachos de hoje eu trouxe pra vocês a história da Mayara Souza, que tem 18 anos e mora em São Paulo, capital. Ela mandou por e-mail o seu depoimento lindo de transição capilar, espero que gostem. E se você quiser mandar seu depoimento pra mim também, é só acessar essa página e ver como fazer. Quero muito conhecer a sua história!

    Minha historia com meu cabelo (que eu me lembro) começa lá em 2009. Eu acordava cedo pra lavar meu cabelo e quando estava na escola ele armava e eu tinha que prende-lo. Não tinha muito o que fazer, eu era uma garota de 9 anos, minha mãe trabalhava e não tinha como ela fazer trancinhas nos meus cabelos todos os dias. E eu odiava todo aquele volume incontrolável, e na escola as crianças eram malvadas, faziam comentários que me machucavam e me deixavam pra baixo. Até que em 2010, com os conselhos das meninas da minha escola eu fiz a minha primeira escova progressiva. Foi mágico! Eu conseguia dormir por mais tempo já acordava pronta para a escola e não perdia horas tentando desembaraçar e passar creme nos meus cabelos. Aí nos primeiros anos a escova progressiva foi o alívio que eu precisava. Mas claro, eu não era tão feliz assim. Tomar chuva era um martírio, entrar numa piscina era um pesadelo! Logo meu cabelo mostrava suas raízes. 

    No ano de 2012 decidi parar com a progressiva. Mas encontrei outros procedimentos para mantê-lo liso. Até que em 2014 meu cabelo estava destruído com a quantidade de produtos agressivos e calor excessivo. Tive que cortar o cabelo bem curto para tirar toda a parte quebrada. Desde então, eu nunca mais tive cabelos longos. Periodicamente eu tinha que cortar as pontas duplas e quebradas. Mas tudo o que eu queria era ter cabelos longos novamente. Tentei de tudo; remédios, shampoos, receitas caseiras… Até que em 2017 percebi que o problema não estava no crescimento do meu cabelo. Mas sim, no comprimento dele. Ele não aguentava mais ser escravo da chapinha.

    Então, em setembro de 2017 (estou comemorando nesse mês um ano de transição capilar!) eu tomei a decisão que marcou o desenvolvimento do meu amor próprio: eu estava oficialmente na transição capilar depois de maratonar vários vídeos do Apenas Ana. Não posso negar que você, Aninha, me deu gás e despertou a coragem em mim para fazer isso acontecer! Foi uma aventura e tanto. Eu estava no meu primeiro emprego, então tive que improvisar. Fazia milhares de penteados e usei vários métodos de texturização. A vontade de desistir nunca foi maior do que a vontade de ter minhas molinhas de volta.

    Depois de 8 longos meses cortando meu cabelo aos poucos, fiz o big chop. Não senti medo, mas fiquei insegura com a opinião das pessoas (isso é um defeito meu: eu me importo com o que as pessoas dizem). Felizmente, recebi ótimos elogios e palavras que me ajudaram muito. Hoje não posso negar! A transição não foi só capilar. Foi uma transição de mente fechada a mente totalmente aberta para novas experiências! Foi uma transição de coração, de corpo e de alma! Estou tão feliz agora, somos lindas com nossos cachinhos!

    O que é autoestima pra você?: Autoestima pra mim é poder sentir-me bem comigo mesma, confortável com as minhas escolhas e habitando na minha própria pele. Aí aquela sensação de que mesmo que todos digam o contrário, eu mereço ser feliz independente do penteado que eu faça, se eu vou usar maquiagem ou não, ou da roupa que eu escolha para sair de casa.

    O que mudou na sua vida depois que você se aceitou?: Tudo mudou! O meu ponto de vista sobre mim e as pessoas a minha volta tomou outro rumo. Sinto que agora posso ser suficiente para mim e para o próximo. Basta abrir meu coração e calar todas as más vibrações! 

    Você deve estar logado para postar um comentário.

    ©2018 - Apenas Ana - Todos os direitos reservados // Design por Sara Silva