• #VoltandoAosCachos: Joyci Stephany

  • Faça você mesma o presente para o Dia das Mães!

  • #VoltandoAosCachos: Ana Luiza Dias

  • dezembro 5, 2015 // 4 Comentários

    Oi genteeeeeee! Hoje venho com o segundo desafio do #DesafioMeliuz! Pra quem ainda não sabe o que é direitinho, dêem uma olhada nesse post (clique aqui), onde falei mais sobre o desafio e mostrei meu vídeo de apresentação.

    O tema do segundo desafio é SOCIAL! Ou seja, é um desafio solidário, para ajudar outras pessoas. A intenção é fazer doações de roupas a quem precisa. Eu fiquei simplesmente encantada com a ideia! O YouTube influencia muita gente, e vai ser incrível poder influenciar os outros a fazerem coisas boas!♥
    A gente precisava gravar um vlog mostrando tudo, e assim eu fiz! Eu dei o meu melhor, de verdade. E no final de tudo quem recebeu doação foi eu. Recebi muito amor, carinho e aprendizados. Agradeço a Deus por ter enviado esse desafio na hora certa, foi maravilhoso. Apertem o play:
    Se vocês tiverem gostado do meu vídeo, votem em mim, para que ele fique em destaque e mais pessoas possam ver! E muito obrigada a quem já assistiu e votou, fico muito, mas muito feliz mesmo! 
    Ahhh, separei algumas cenas do vídeo! Amo fazer isso! <3 Olhem só:

    Espero que vocês tenham gostado, e que tenha motivado vocês a fazerem o bem. Não esqueçam que agora eu tô respondendo os comentários aqui no blog, hein? Beijos, fiquem com Deus e até a próxima!
    julho 1, 2014 // 66 Comentários
    Hoje mais cedo, após lavar o cabelo fiquei encarando meu reflexo por um tempão no espelho. Tava afim de mudar alguma coisa em mim. Já não suportava mais olhar para essas pontas alisadas e ter que ficar amassando elas todos os dias até elas cachearem um pouco. Peguei uma tesoura, joguei meu cabelo pra frente e pá: cortei. Depois fui cortando mais, e mais, e mais um pouco. Até ficar do jeito que tá agora.
    Eu cortei muito porém nas fotos não dá pra perceber direito. Eu saí cortando várias pontas alisadas que eu ia vendo. Chegou um momento que eu até fiquei com um pouco de medo de aleijar o meu cabelo. Cortei meu cabelo com as mãos tremendo, mas confesso que depois que ele secou um pouco eu gostei do resultado. E até agora tô gostando.
    Uma coisa que eu quero que fique bem claro é que eu ainda não fiz o meu BC “oficial”. Pra quem não sabe, BC é a abreviação de Big Chop, que em português significa Grande Corte. BC é o corte que você faz pra retirar toda a química do seu cabelo até ficar 100% natural. Eu ainda não tô 100% natural, mas acho que tô 100% feliz com esse corte! Haha. Vocês acreditam que eu nem precisei ficar amassando durante alguns minutos pra ele ficar cacheado? Agora tá muito mais fácil de cuidar!
    Eu sei que vocês devem estar se perguntando: “Por que tem tanto cabelo no chão naquela foto lá em cima e o cabelo nem tá tão curto assim em comparação a antes?”. Bom, nessas fotos realmente não dá pra ver direito, pessoalmente meu cabelo tá bem curtinho sim, viu? Mas também eu fiz foi cortar assim: não tirei muito do comprimento por baixo do cabelo, já que ele tava quase 100% natural em baixo. Eu fiz foi cortar mais por cima, ir repicando, tirando mechas que estavam bem alisadas. Fiz um corte bagunçado mas que no fim acho que deu certo!
    Podem dizer que eu sou louca, que não devia ter cortado, que tava melhor antes e mais um monte de coisas que tô acostumada a ouvir sempre que faço algo diferente no meu cabelo. Mas o que importa é que eu gostei dele assim. Tá bem mais fácil pra mim cuidar e como você sabem, eu adoro praticidade. Não gosto de nada que me incomoda.
    Cabelo cresce! E outra, sei que tem aquela galera que fala: nossa, desse jeito seu cabelo nunca vai ficar grande, você sempre vai lá e corta. Meu amigo, se eu quisesse cabelo grande eu não teria cortado! Que ignorância das pessoas acharem que todo mundo tem que ter cabelo batendo lá na bunda. Prefiro muito mais ter um cabelo curto, saudável, cheio de cachinhos, do que ter um cabelo comprido e mal cuidado, cheio de partes esticadas e estragadas.
    Agora falta pouquinho pra minha transição acabar. Acho que até o fim do ano eu consigo chegar ao fim dessa luta. Bem que eu disse nesse vídeo que eu não ia conseguir ficar sem cortar o cabelo até o meu big chop oficial! haha
    Agora leiam:
    “Quantas vezes você disse algo pro seu amigo que o magoou? Quantas brigas com o namorado? Quantas discussões com os pais? Mas com isso a gente não tem apego, a gente se apega ao cabelo, à unha, ao bronzeado, ao “peso ideal”. A diferença é que essas coisas a gente pode recuperar, mas o sentimento não tem cola. Não existe uma fabriquinha desses sentimentos dentro das pessoas que amamos. Quando você decepciona, decepciona pra valer.
    Parece que pra gente tem sido mais fácil passar a tesoura na amizade do que no cabelo. O cabelo cresce, se rejuvenesce e vai crescer ainda mais saudável. Cortar o cabelo faz bem, deixa ele brilhoso e com vida. Cortar a amizade é como jogar veneno: ela vai morrendo, morrendo, morrendo, até que ela evapora de uma vez. E aí rola aqueles momentos de ‘O que foi que eu fiz? Tudo parecia tão bem…’. Tudo parecia bem pra você, que estava passando a tesoura. E quem lidou com as suas grosserias, com as pisadas na bola, com o descaso que você teve? Você esqueceu de cultivar a amizade e agora ela murchou.
    Exercite o desapego nas coisas que se renovam, e cultive o que é único. Não o contrário!”
    Como você teve coragem? Por: Luisa Clasen
    Março 29, 2014 // 38 Comentários
        Certa vez me disseram que para deixar coisas novas chegarem era preciso me libertar das velhas. Fui analisando cada pedaço da minha vida e reparei que havia muita coisa estragada precisando ir pro lixo. Coisas que já nem pertenciam mais a mim e que só ocupavam espaço. Coisas que só estavam aqui por que eu já havia me acostumado com a presença delas, mas que nem me serviam mais. Coisas que estavam pegando poeira dentro do meu guarda roupa e até mesmo coisas dentro meu coração. Coisas.
        Deixar alguém ir embora é bem mais difícil do que doar um vestido usado. Porém não é impossível e o resultado é quase o mesmo. Aquilo vai sair da sua vida e dar espaço para uma coisa melhor chegar. O único problema é que comprar uma roupa nova é muito mais fácil. Tem em toda vitrine e você encontra em qualquer loja. Já uma pessoa não. Você nunca vai encontrar alguém igual aquela que foi embora. E, vez ou outra, vai bater uma saudadezinha numa terça feira à noite enquanto você tenta pegar no sono. Mas é só saudade, e como eu disse, você nunca vai encontrar alguém igual à ela… Vai encontrar uma pessoa melhor. Alguém que realmente valha a pena passar a madrugada de terça em claro trocando mensagens. Alguém que irá preencher os vazios que a outra deixou. Como uma roupa nova, que vai te deixar bem mais bonita e feliz.
       “Você não precisa disso, menina”. Escutei o conselho das pessoas que querem o meu bem, coloquei essa frase como meu lema e resolvi mandar pra longe tudo aquilo que não estava somando em nada. Roupas, sapatos, sentimentos, pessoas… Tudo. De primeira não é fácil e o espaço vazio parece cada vez maior. Mas deixa o tempo passar pra você ver. O que é seu está guardado e, pouco a pouco, coisas boas chegarão e preencheram todos os buracos. Eu estava cheia de me sentir vazia. E agora percebo que “ter” não é sinônimo de “acrescentar”. Pare de tentar somar o número zero na sua conta. Você tem ele, mas ele não acrescenta em nada. Desapega. 

    Agora deixe eu explicar tudo o que me motivou a criar esse post.
    Há alguns dias, a Ana Arantes do Bolas de Meia me chamou para doar o que já não me servia mais. Ela disse que havia feito um post no blog dela falando sobre desapegar das coisas que não usamos mais e que havia também separado um monte de roupas para doação. Na hora fiquei super empolgada e achei o post muito legal, é sempre bom tratar sobre esses assuntos na blogosfera.
    Logo depois uma amiga me disse que nessa quaresma estava juntando roupas para doar para as crianças carentes daqui de Unaí. E na mesma semana mais duas vieram me pedir por que também estavam juntando para doar. Anteontem à noite também minha mãe veio me falar que tinha muita coisa desnecessária do meu guarda-roupa e que estava precisando dar um “limpa”, sabe? Gente, tanta coisa conspirando pra mim desapegar que não deu outra. Ontem à tarde separei todas as roupinhas que eu não uso mais. Não eram só coisas que não me serviam, a maioria das roupas ainda estavam adequadas pro meu tamanho, mas eu realmente não usava.
    Foi ótimo me desapegar dessas roupas, tô me sentindo até mais leve. Agora vou doar para quem precisa. Vem ajudar e fazer o bem também! Você que é blogueiro(a), que tal entrar nessa corrente e doar o que não te serve mais e também incentivar seus leitores a fazer o mesmo? Ah, e é óbvio que você não precisa ser blogueiro para fazer isso. Todos nós temos necessidade de deixar ir embora tudo o que não nos serve mais. 
    Ultimamente tô assim, deixando ir o que já não me serve mais. Pois o que for pra ser meu, um dia será.
    ©2018 - Apenas Ana - Todos os direitos reservados // Design por Sara Silva