• #VoltandoAosCachos: Joyci Stephany

  • Faça você mesma o presente para o Dia das Mães!

  • #VoltandoAosCachos: Ana Luiza Dias

  • Abril 19, 2018 // Comente

     

    Quando a gente pensa em looks mais arrumadinhos pra sair com os amigos ou pra ir a alguma festa, sempre pensamos em composições com salto alto, né? Acontece que a moda começou a perceber que não dá pra ficar em cima de um salto durante muito tempo sem ficar desconfortável. E é aí que chega a melhor parte: hoje, conseguimos fazer looks com sapatos baixos super estilosos, além de não ficarmos escravas de calçados que nos machucam. 🙂 Por isso, trouxe algumas ideias pra você tentar em casa e se sentir linda (sem salto!).

     

     

    A Alicia está com um tênis que falei há pouco tempo aqui no blog: o All Star! Ele é bem versátil e funciona até com uma saia de paetês dourados, te deixando pronta pra sair com os amigos. Se estiver frio, ainda vale colocar um suéter bem quentinho e fazer uma brincadeira de texturas com tricô + paetê. A Kendra usou uma saia com botões na frente e uma fenda. Pra completar o look, optou por uma sapatilha de ponta fina e amarrações. Por ser preta, a sapatilha se destacou no look e deu super certo! Já a Tanesha combinou uma blusa de manga comprida mais justinha com uma saia esvoaçante plissada, e deixou a estampa pra sapatilha, enriquecendo ainda mais a composição!

     

     

    Assim como as duas da imagem anterior, a Rochelle também optou por uma sapatilha de amarração. Só que a cor da pele deixou a roupa mais delicada e feminina. Delicada também ficou a Tanesha, que usou um vestido de poás preto e branco com um sapato baixo, de ponta fina e detalhe de laço na parte de trás. Pra completar, ainda combinou com um colar de pérola. Já o look da Cindy é mais moderno: um macacão estampado com decote de um ombro só. O macacão é uma boa peça pra sair do senso comum de que só vestido é arrumadinho. Ele também pode ser chique, mesmo com uma rasteirinha dourada. 😀

     

     

    Nos looks com calça, a Cindy investiu em uma blusa toda trabalhada e cheia de detalhes pra dar um up no visual. A jaqueta de couro ainda aparece pra caso esteja beeeeem frio, e nos pés: os nossos queridinhos tênis! A Freddie criou uma composição incrível mais arrumadinha bem no clima “profissional”, mas sem ficar monótono. A pantacourt preta se juntou com o blazer estampado e combinou demais com o tênis esportivo. Já a Natasha optou por uma roupa bem básica (camiseta e calça jeans pretas), mas o casaquinho, que é uma terceira peça, fez toda a diferença. Pra finalizar, uma botinha super estilosa sem salto e várias fivelas! <3

    Abril 13, 2018 // 5 Comentários

    Oi genteee! No post de hoje, vocês vão conhecer a história da Dina Lima, que tem 25 anos e mora em Cruzeiro do Sul, no Acre. Acho que vocês vão se identificar com o depoimento dela, por isso, espero que gostem! Para continuar acompanhando essa linda, é só curtir a página dela no Facebook. 🙂

    E se você quiser mandar seu depoimento pra mim também, é só acessar essa página e ver como fazer. Quero muito conhecer a sua história!

     

    Desde muito nova sofri muito preconceito. Com tudo que as pessoas falavam passei a me sentir feia e a menor pessoa do mundo. Chorava por tudo. Me diminuía muito também. Meu cabelo é crespo, tipo 3C e 4A. Meus pais não tinham condições financeiras para cuidar melhor do meu cabelo e também não tinha muita opção de produtos para cabelo crespo/cacheado. Então eu só molhava e amarrava meu cabelo. Ele não definia. Passei a odiar meu cabelo. Minha mãe percebeu que eu estava com a autoestima baixa e quando fiz 14 anos ela arrumou um dinheiro e me levou num salão e mandou alisar meu cabelo.

     

     

    Nossa! Lembro como se fosse hoje: fiquei toda feliz! Algumas pessoas que nem falavam comigo (pessoas que me conheciam desde criança) passaram a falar, me elogiar. Fiquei muito feliz, mais bonita. Mas com o passar do tempo quando minha raiz começou a crescer as pessoas começaram a me tratar mal novamente e me humilhar na escola, enfim. Começou tudo novamente. Alisei meu cabelo durante 10 anos. Em fevereiro de 2016 estava olhando uns vídeos no YouTube e abri um vídeo do canal antigo da Ana Lídia. Amei de cara! Ela falava sobre transição e eu me interessei pelo assunto. Minhas primas já tinham falado sobre o assunto e eu busquei mais informações e foi daí que decidi deixar meu cabelo crescer.

     

     

    No começo foi muito difícil. Muitas pessoas falam contra e diziam que ia ficar feio. Que ia continuar a mesma coisa que era antes. Que eu ia me arrepender. Mas quando mais eu assistia os videos, menos eu me importava com os pensamentos contrários. Comprei produtos e passei a cuidar da minha raiz que estava cada vez mais linda. Passei 1 ano inteiro na transição, enquanto ia cortando aos poucos os lisos. Em fevereiro de 2017 resolvi cortar toda a parte lisa. Posso dizer que foi a melhor decisão que eu já tomei. Na mesma hora os cachinhos já responderam e foi a minha alegria. A insegurança foi embora e hoje (10 meses depois) sou uma mulher segura de mim. Foi dicas para outras meninas que precisam, tenho um canal e um instablog. O que posso dizer é que vale muito a pena se amar do jeito que somos e ser feliz do jeito que Deus nos fez.

     

     

    O que é autoestima pra você? Autoestima é você ser feliz e mostrar isso no seu modo de vida. Não pelo que tem, mas pelo que é. Ser empoderada e se amar sendo você mesma. Sem máscara, sem disfarce, só você!

    O que mudou na sua vida depois que você se aceitou? Minha vida mudou em tudo. Depois que me aceitei por mais que muita gente ainda fique olhando com olhar de deboche, já não me importo mais, passo de cabeça erguida e com um sorriso no rosto. Porque hoje eu vejo quem eu sou e me dou valor assim. Chorar e me sentir diminuída? Nunca mais! Sei que cabelo, cor, condição financeira não torna alguém melhor ou pior que ninguém. Temos que dar valor uns aos outros e respeitar as diferenças.

    Abril 11, 2018 // 3 Comentários

     

    Comprar roupas é incrível, né? É muito boa essa sensação de ter peças novinhas no armário para usar. O problema é quando você está com o seu guarda-roupa cheio de peças que não conversam entre si e na hora de sair sempre rola aquela questão do “não tenho nada pra vestir”. Aí a gente precisa olhar de uma maneira mais prática para as compras que estamos fazendo, pra evitar que esse tipo de coisa aconteça e pra promover um consumo mais consciente da moda. Eu trouxe hoje 5 dicas que podem te ajudar muito nesse caminho! Espero que gostem. <3

     

     

    1. Se conheça bem.

    É o primeiro e o mais importante passo para comprar certo: se conheça muito bem! Olhe de uma maneira carinhosa para o seu corpo, sem julgamentos. Quais partes dele você mais ama? Elas são um bom ponto de partida para comprar roupas que te valorizem. Tente não seguir as tendências apenas por seguir. Use peças que realmente falem sobre você, que combinem com a sua personalidade. Pare um pouquinho de olhar para fora e comece a olhar para dentro de si, se amando do jeitinho que é.

     

     

    2. Pense no seu armário!

    Do que adianta comprar uma peça se ela não vai se encaixar com nenhuma roupa que você tem? Dizem por aí que o ideal é que uma peça consiga formar, pelo menos, 3 looks completamente diferentes com o que você tem no armário. Assim, ela será versátil o suficiente para usar em algumas ocasiões do seu dia a dia! Então, se não lembrar de cabeça as peças do seu guarda-roupa, vale a pena tirar fotos dele com o celular e levar às compras.

     

     

    3. Estabeleça limites.

    A partir do momento que você se conhece melhor e tem mais noção do seu armário, é possível perceber aquilo que está faltando e criar uma lista de compras até para roupas. Essa lista pode te ajudar a não se distrair tão fácil com outras coisas. Outra dica é escolher uma paleta de cores para o seu guarda-roupa. Quais são as cores que você mais ama e mais usa? Determine até umas cinco cores que combinem entre si para servirem como um guia na hora das compras. Por exemplo: preto, branco, cinza, rosa e amarelo.

     

     

    4. Analise a peça.

    Mesmo que seja um item baratinho, ele não pode ser todo torto, né? É importante que você olhe o caimento da peça no seu corpo antes de comprar, por isso é tão importante experimentar! Analise a costura, vire a roupa ao contrário e vá criando um olhar crítico para tudo o que você comprar daqui em diante. Algumas roupas, só de olhar, conseguimos dizer se elas vão durar ou não. O que queremos é um guarda-roupa funcional e que acompanhe a gente na nossa vida, certo?

     

     

    5. Tenha paciência!

    Comprar as roupas certas é um exercício de paciência. Não adianta comprar a primeira que aparece na frente: tem que continuar procurando, garimpando. Por isso, ir ao shopping não é sempre puro lazer. Às vezes a gente precisa tirar uma tarde inteira para experimentar as roupas, entrar nas lojas que mais nos agradam e fazer uma espécie de “curadoria” das melhores peças. Mas pode ter certeza que esse trabalhão vai transformar as suas compras em algo mais consciente!

     

    Abril 6, 2018 // Comente

    Oi genteee! Hoje vocês vão conhecer a história da Thais Moreira, de 27 anos, que mora em Osasco, São Paulo. A Thais mandou seu depoimento e suas fotos por e-mail e compartilhou com a gente seu processo lindo de #VoltandoAosCachos. Espero que vocês gostem tanto quanto eu! 😀

    E se você quiser mandar seu depoimento pra mim também, é só acessar essa página e ver como fazer. Quero muito conhecer a sua história!

     

    Durante 15 da minha vida, fui dependente de química capilar. Mas na metade do ano de 2016 dei início a uma mudança que transformaria a minha vida, eu não entendia muito bem o que estava acontecendo e nem até onde aquilo podia ir. Num dia normal eu resolvi fazer a tal trança Gladiadora, passei o dia com ela e fui dormir, no dia seguinte quando levantei, desmanchei quando me olhei no espelho veio o susto: gente! é isso mesmo, CACHOS?

     

     

    A partir dali começou a tal transição capilar (eu entrei nela sem nem saber o que estava fazendo ou do que se tratava), fazia a trança e soltava por váaaarias vezes, eu achava muito bom o resultado e tinha uma aceitação muito boa da parte dos amigos e familiares, as vezes eu ainda usava chapinha, pois me sentia inferior no começo, ainda mais por causa das pontas lisas e pelos cachos não terem forma nem definição.

    Certa vez vi minha prima postar uma foto de seu cabelo que vivia escovado e pranchado todo cacheado, fui perguntar o que ela havia feito, isso foi em outubro de 2016, então foi ai que começou definitivamente a transição, ela me apresentou a tal gelatina e um gel texturizador, eu não sabia muito bem como fazer e nem o que fazer, fui pegando uma dica daqui outra dali mas não dava nada certo. Coquinho, bigudinho, trança e nada.

     

     

    Cheguei a pensar em desistir tanto que a semana do natal escovei de novo e pintei de ruivo para me sentir melhor. Mas no dia 17 de fevereiro, fui eu no salão da minha prima, sim essa mesma prima que me ensinou a tal texturização, eu estava decidida a somente cortar as pontas do cabelo e fazer uma progressiva na mesma semana, pois não queria me sentir feia, e para a minha surpresa quando ela cortou a primeira mecha, tcharam falou essas palavras: nossa seu cabelo está todo natural em baixo, falta só uns dedinhos, porque você não deixa ele assim.

    Sim, foi ela quem me encorajou e pra me ajudar ainda fez uma make maaara pra me deixar ainda mais bonita *-*.

    E sem saber direito fiz o meu primeiro BC ♥ a melhor coisa da minha vida.

    Hoje 11 de outubro de 2017 fazem quase 8 meses que tomei a decisão que mudou a minha vida, me sinto muito mais eu e aos 27 anos estou dando início a minha carreira de modelo, porque nunca é tarde e depois que conheci você e comecei a acompanhar seu canal, sinto como se tivesse um anjo da guarda!!!

     

     

    O que é autoestima pra você? Autoestima é uma aceitação de alma, você se olhar no espelho todos os dias e se reconhecer do jeito que você é.

    O que mudou na sua vida depois que você se aceitou? Mudou tudo, e me encorajou criar novos projetos de vida e investir em um sonho que estava esquecido: Ser Modelo.

    ©2018 - Apenas Ana - Todos os direitos reservados // Design por Sara Silva