• Como usar estampa de folhagens nos looks e na decoração

  • #VoltandoAosCachos: Neide Santos

  • #VoltandoAosCachos: Hanna Evangelista Silva

  • novembro 3, 2017 ----------- Voltando Aos Cachos

    Oi genteeee! Hoje eu trouxe o depoimento que a Pâmela de Almeida Santana mandou pra mim por e-mail. Ela tem 30 anos e mora em Jundiaí, São Paulo. A Pâmela compartilhou a história da sua transição capilar e o resultado é incrível! Espero que vocês gostem! 😀

     

     

    É semelhante a de tantas outras histórias…. acredito que por falta de informação e produtos de qualidade, desde de criança meu cabelo vivia todo bagunçado, preso, ressecado, sem brilho e sem vida, até que minha mãe arrumou uma “solução”, aos 7 anos já começou a passar química no meu cabelo. Na época eu achei o máximo, finalmente meu cabelo balançava, estava “liso” como das minhas amigas da escola…. (que ilusão).

     

     

    A partir daí não parei mais, foram inúmeros relaxamentos, permanente afro, progressivas, chapinha, muitos cortes e cores, sem contar os gastos. Mas eu nunca me senti realmente bonita ou satisfeita com a minha aparência. E quando ia na piscina ou praia aí era pior ainda, não tinha o que fazer que ficasse bonito. Eu também não tinha o hábito de cuidar do cabelo com hidratação, nutrição ou restauração, por isso sempre tinha que cortar o cabelo.

     

    Enfim, até que em dezembro de 2013 fui viajar pra Minas e passei muito calor, fazia 1 mês que tinha feito progressiva, mas não conseguia fazer escova e chapinha por causa do calor e meu cabelo ficou horrível. Foi aí que eu me revoltei com as químicas. E comecei a pesquisar na internet sobre cabelos cacheados, e encontrei vc Ana. Eu estava com 27 anos e vc sendo tão jovem foi tão corajosa de assumir o seu cabelo, cortar curtinho, eu pensei: eu também vou conseguir!

     

     

    Não foi nada fácil, fora meu marido, mãe e irmã, ninguém mais me apoiou. Eu ouvia muitas críticas, coisas que me deixavam pra baixo mesmo, mas aí eu corria na internet e me inspirava de novo. Após 6 meses sem química, fiz o big chop dia 7 de maio de 2014. Tive muita vontade de chorar na hora, mas quando eu passei o creme e vi ele todo cacheado fiquei mega feliz. Ainda assim continuei ouvindo muitas críticas, mas algo mudou dentro de mim, eu já não ligava mais, me sentia linda como nunca antes, me sentia tão eu.

     

     

    Agora já se passou quase 2 anos, muita coisa mudou  em mim por dentro e por fora, tenho 2 filhos, um de 4 anos e uma menina de 9 meses (que já está com cachinhos), quero muito que eles se orgulhem de mim como mãe, como mulher, principalmente a minha menina Manuela que terá seus próprios cachinhos. Hoje me cuido muuuuuuuuito mais, do cabelo, do corpo e da mente. E todas aquelas críticas???? Se transformaram em inúmeros elogios de amigos, parentes e desconhecidos, não só pro cabelo, mas pela coragem e determinação, e tenho muito orgulho disso.

     

    Sou muito mais feliz e me sinto realmente linda. Autoestima pra mim é me cuidar, me amar, me aceitar como Deus me fez. Obrigado Ana pelos seus vídeos, foram e ainda são muito importantes e inspiradores pra mim. Além de tudo isso, minha irmã, minha mãe e mais algumas amigas resolveram assumir seus cachos também. Algumas fizeram o bc agora ou estão em transição. <3

     

    E se você quiser mandar seu depoimento pra mim também, é só acessar essa página e ver como fazer. Quero muito conhecer a sua história!
    outubro 27, 2017 ----------- Voltando Aos Cachos

    Oi genteeee! Hoje trouxe o depoimento de #voltandoaoscachos da Vanessa Lima Alves para vocês conhecerem. A Vanessa tem 20 anos e mora em Presidente Prudente, São Paulo. Ela dividiu a sua história com a gente e aposto que vocês vão se identificar! Para continuarem acompanhando essa linda, é só acessar seu Instagram e seu canal no Youtube.

     

    Bom, como a maioria das cacheadas e crespas cresci ouvindo aquela história de que o cabelo cacheado era considerado feio, volumoso demais e até mesmo sujo. “Esse cabelo não tem jeito”, “Faz um relaxamento só pra tirar um pouco o volume”.

    O cabelo considerado bonito era o liso e era aquilo que a gente via nas revistas e na TV. Minha mãe sempre alisou o cabelo, mas sempre foi contra o alisamento do meu. Quando ela ia no salão fazer escova todas aconselhavam um relaxamento pro meu cabelo e assim nós fizemos. Fiz meu primeiro relaxamento mais ou menos aos 10 anos e continuei fazendo isso até os 14. Nas primeiras vezes ficava bem bonito, mas com o tempo meus cachos foram ficando cada vez mais esticados e sem forma. Foi aí que eu inventei de passar progressiva pra alisar tudo de vez!

    Fiz progressiva com mais ou menos 15 anos, foi um episódio do qual nunca esqueci. Eu passei 5 horas no salão com um ventilador na frente do rosto pra dar uma amenizada na ardência dos olhos e do couro cabeludo. Saindo do salão eu me sentia maravilhosa, tudo o que eu queria era ver meu cabelo balançando, poder pentear, poder ter franja…

     

    Fiquei fazendo progressiva até os 16 anos, apenas. Sim, durou pouco tempo. O motivo? Meu cabelo ficou extremamente danificado, cheio de pontas duplas e muito ressecado. Eu odiava esse aspecto então sempre que ia retocar a progressiva eu cortava um pouco as pontas. Até que de tanto cortar chegou num ponto em que meu cabelo estava na altura do queixo. Foi quando eu parei pra refletir e fiquei com medo de ficar careca hahaha

    Resolvi passar pela transição unicamente pela saúde do cabelo, eu nem imaginava como seria meu cabelo 100% natural porque eu só lembrava dele com relaxamento. 

    Parei com a química em novembro de 2013 e logo em abril de 2014 já fiz o tão temido big chop, cortei na altura da orelha. Eu não tinha medo de ter cabelo curto, então resolvi cortar logo porque eu não sabia lidar com as duas texturas. Logo depois do tão temido bc eu encarei a realidade do meu cabelo depois das químicas: muito ressecamento e scab hair. Eu fiquei bem triste e até cheguei a pensar em alisar de novo, mas só de lembrar dos danos do meu cabelo eu desistia e insisti muito hidratando e investi no cronograma capilar. 

     

    Desde então eu buscava inspirações de blogueiras e youtubers e ficava só imaginando o dia que meu cabelo ficasse cacheado e voltasse a ser saudável, só esperando crescer e esse dia chegou, porque acreditem ou não aquele clichê é real: cabelo realmente cresce, viu?

    O que é autoestima para mim: Autoestima, para mim, é se aceitar como você é. Explicando: Mesmo nos dias em que você não se sente a pessoa mais bonita, é não deixar que mensagens e palavras ruins penetrem na sua cabeça. Ninguém se sente lindo 24 horas por dia 7 dias por semana. Mas autoestima é saber que você é muito mais do que só aquilo que reflete no espelho, muito mais do que aquilo que as outras pessoas falam. Autoestima é muito mais do que um cabelo liso, cacheado, crespo, em transição…É aquilo que você traz dentro de si e te move, fazendo com que você saiba que você é uma pessoa valiosa. Seu valor não está no seu cabelo, na sua maquiagem ou naquilo que você aparenta ser. É algo muito mais profundo e que ninguém pode tirar de você!

     

    O que mudou depois que me aceitei: A transição além de um período pro meu cabelo se recuperar foi um momento de descobertas muito grandes na minha vida. Eu descobri que poderia me vestir como quisesse, passar a maquiagem que quisesse, usar o cabelo volumoso e sem texturização nenhuma, passar batom na minha boca que antes muitos julgavam grande demais, entre outras coisas. 

    Coincidentemente a época da minha transição foi o período em que tive contato com pautas como o feminismo, empoderamento, representatividade e tudo isso fez muita diferença na minha vida, pois, foi quando eu percebi que eu era livre! Eu fui liberta de uma regra que impuseram sobre mim: cabelo liso. Então por que não quebrar mais correntes? Hoje ainda tenho momentos em que não me sinto 100% linda e deusa, mas sei que isso vai passar e que eu já não preciso mais ouvir imposição nenhuma nem de ninguém. Eu quis me libertar do cabelo que não era meu e, diariamente, escolho fazer o que quiser com a minha vida! Hoje sei que o que tem na minha cabeça vai muito além do cabelo, é  um sinônimo de identidade, liberdade e resistência. <3

     

    E se você quiser mandar seu depoimento pra mim também, é só acessar essa página e ver como fazer. Quero muito conhecer a sua história!

    outubro 27, 2017 ----------- Beleza Voltando Aos Cachos

    Oi genteeee!! No vídeo de hoje vou mostrar pra vocês alguns penteados românticos lindos e super fáceis que fiz para a primavera/verão! Se inspirem e arrasem! Não se esqueçam de clicar muito em gostei, se inscreverem no canal, ativarem o sininho pra não perderem nenhuma novidade e de me contarem o que acharam nos comentários! Beijos e até mais ♥

    outubro 20, 2017 ----------- Voltando Aos Cachos

    O post do #VoltandoAosCachos de hoje vai mostrar o depoimento da Juliana Vieira. A Juliana tem 22 anos, mora em São Bernardo do Campo, em São Paulo, e dividiu com a gente a sua história linda. Para continuar acompanhando, fique de olho no seu blog, no seu Instagram e no seu canal do Youtube. 🙂

     

     

    Comecei a fazer relaxamento no cabelo com 6 anos de idade, quando eu entrei no prézinho. Minha mãe sempre cuidou do meu cabelo, mas todos os dias de manha ela tinha que pentear, arrumar, mas quando ela colocava o pente no meu cabelo eu já começava a reclamar e ai ela ficava brava comigo kkk. Então eu comecei a ver que as meninas de cabelo liso tinham mais facilidade  de cuidar do cabelo, então comecei a pedir para ela me deixar alisar, até um dia que ela cedeu e deixou.

     

     

    A partir dai alisei o cabelo até os 19 anos, em junho de 2014 após fazer a ultima química decidi que não ia mais alisar o cabelo. Passei um ano e meio em transição, foi difícil a autoestima ficou bem baixa principalmente no final, mais graças a Deus eu consegui passar por isso e foi a melhor coisa que eu fiz na vida.

     

     

    O que é autoestima: Para mim autoestima vai muito além de roupas e maquiagem. Hoje eu me sinto linda quando olho no espelho, tanto que muitas vezes eu me olho e falo assim para os meus pais: como é ter uma filha tão linda? kkkk Hoje eu saio de casa sem maquiagem praticamente todos os dias, não me importo com a roupa que eu estou vestindo, eu me sinto bonita em todos os lugares que eu vou. A partir do momento que eu assumi o meu cabelo, percebi o que era autoconfiança de verdade e que não preciso de roupas caras e muita maquiagem para me sentir bonita. Autoestima é se aceitar independente de qualquer coisa. 

    O que mudou na minha vida: Com certeza foi a minha autoconfiança, eu não me sinto mais insegura, com medo do que os outros vão pensar. 

     

    E se você quiser mandar seu depoimento pra mim também, é só acessar essa página e ver como fazer. Quero muito conhecer a sua história!

    Apenas Ana (C) 2017 DESIGN POR SARA SILVA