• #VoltandoAosCachos: Thamíris Gerardi

  • 8 jeitos incríveis de usar calça jeans no friozinho

  • Meus favoritos de inverno: pele, cabelo, roupas, velas… enfim!

  • março 2, 2018 // Comente

    Oi genteee! Sexta é dia de #VoltandoAosCachos, onde eu compartilho o depoimento de vocês, leitoras, durante o processo incrível que é a transição capilar. Hoje vocês vão ler a história da Jeneffer Fernandes da Silva, de 18 anos, que mora em Rio das Ostras, no Rio de Janeiro. Acho que vocês vão se identificar com ela. 😉 Espero que gostem!

     

     

    Bom, quando eu alisei meu cabelo, era bem nova, foi antes dos meus 10 anos. Alisei não porque eu não gostava do meu cabelo, mas sim porque os meninos só gostavam das minhas amigas – que tinham cabelos lisos – e nenhum gostava de mim. É bobeira de criança? Sim, eu sei disso, mas eu ficava muito triste por ser a única que os garotos não gostavam. Foi então que eu decidir alisar o meu cabelo para se parecer com minhas amigas, eu acreditei que estava mais bonita, mas nada mudou, eu ainda era aquela excluída. Alisava meu cabelo de 3 em 3 meses com guanidina até meus 17 anos.

     

     

    Não que eu via problemas, mas eu ficava muito presa, minha rotina era: sábado lavar o cabelo, domingo fazer a chapinha para poder usar durante a semana. Eu não saia de casa se meu cabelo não estivesse pranchado, meu namorado vinha na minha casa e ele ficava de lado porque eu estava fazendo o cabelo, foi então que eu percebi que deveria me libertar, que eu estava apenas me enganando, não passei pela transição, pois quando eu decidir cortar, eu estava com dinheiro para alisar, mudei o rumo e fui ao corte. Foi bem curto, pois eu só estava com 3 meses de raiz natural. Arrependimento? Nenhum, posso ir na praia todos os dias se quiser e poder sair depois porque meu cabelo não é artificial. Se eu soubesse que eu teria este alívio, teria cortado bem antes.

     

     

    O que é autoestima pra você? Autoestima é você olhar no seu espelho e se achar linda do jeito que é, autoestima é você não se incomodar se alguém te olhar com olho torto por causa do seu cabelo. Autoestima é você ser o que você é, sem enganar os outros ou a si mesma tentando ser quem não é de verdade.

     

     

    O que mudou na sua vida depois que você se aceitou? Mudou meu humor, sou mais feliz, porque eu não gostava que mexiam no meu cabelo, por causa da umidade da mão da pessoa poderia tirar a prancha do meu cabelo. Mudou minha fotos, eu olho para as fotos tiradas, pode ser até borrada, mas eu gosto, porque estou natural. Mudou tudo ao meu redor, tudo são flores, pode ser clichê, mas eu comecei entender agora o que significa dizer “eu me amo.”

    ©2018 - Apenas Ana - Todos os direitos reservados // Design por Sara Silva